II Conferência de Comunicação de Niterói começa na Câmara de Niterói

Com presenças de jornalistas, políticos, convidados, aconteceu a solenidade de abertura da II Conferência de Comunicação de Niterói, na última sexta-feira, dia 1 de julho, no plenário da Câmara de Niterói.

A Conferência vai acontecer entre o período de julho de 2022 a fevereiro de 2023, com criação de debates e apresentações de propostas e teses de formulação da Carta Niterói, com diretrizes para políticas públicas de Comunicação do município de Niterói. Porém, a primeira etapa desse evento acontece em março de 2023.

Leonardo Caldeira, Irene Marques, Leonardo Giordano, Mário Sousa, Waldeck Carneiro e Adilson Cabral.

O tema central da Conferência é a “Participação Popular e o desafio das políticas públicas de Comunicação”, tendo como eixos de debates: “Comunicação Popular”, “Direito Humano à Comunicação” e “Desconcentração da Mídia”.

A Conferência  começou em tom de debate e repúdio a violência contra a Imprensa, os jornalistas e a perversidade dos assassinatos do jornalista inglês Dom Phillips e do ativista ambiental Bruno Pereira na Amazônia.

A Mesa de abertura foi formada pelo Coordenador de Comunicação da Prefeitura de Niterói, o jornalista Leonardo Caldeira; o vereador Leonardo Giordano, presidente da Comissão de Cultura e Comunicação da Câmara de Niterói; Irene Marques (TV Comunitária); o jornalista Mário Sousa, que presidiu a solenidade, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro); o deputado estadual Waldeck Carneiro, (presidente da Frente Parlamentar da Democratização da Comunicação da Alerj; e  Adilson Cabral ( professor da UFF e da Emerge).

O jornalista Mário Sousa falou sobre a importância da Conferência e os tempos sombrios que vivemos no País, para ficar apenas na questão da informação. Tempo este que só pode ser comparado a época da Ditadura militar, com um governo federal que no dia-a-dia tenta desqualificar o Jornalismo e agredir jornalistas. “Vivemos a institucionalização da mentira, com as fake news”, destacou.

Mário, além de homenagear o jornalista assassinado Dom Phillips, pediu um minuto de silêncio também em homenagem  aos jornalistas Fernando Paulino. Mário Jakobiskind, Sérgio Caldieri, pela participação ativa na 1ª Conferência de Comunicação de Niterói e em defesa da Democratização da Comunicação e ao advogado e jornalista Antônio José, ex-presidente da OAB, recém-falecido.

Adilsom Cabral fez um histórico do que foi a primeira Conferência e de como se desdobrará a segunda Conferência. “Vamos construir a Conferência com os movimentos sociais, os jornalistas e as instituições acadêmicas e privadas. A Comunicação como um direito”, destacou.

Leonardo Caldeira, em nome da Prefeitura de Niterói, destacou a realização da Conferência e falou do universo de como hoje a Comunicação ganhou uma nova configuração tecnológica mas não perdeu sua essência da Informação com verdade, ética, transparência e checagem.

Irene Marques  falou  dos movimentos das  rádios e TVs Comunitárias e destacou a luta que vem travando para avançar na sustentação da TV Comunitária.

O deputado estadual Waldeck Carneiro ressaltou a importância da Comunicação como um direito fundamental para a democracia e a Cidadania.

O vereador Leonardo Giordano destacou a importância na mudança da Comissão de Cultura, Comunicação e Patrimônio Histórico e de um seu projeto que prevê um percentual  mínimo da publicidade pública para os veículos comunitários e populares.

O cartunista Aroeira, palestrante convidado para a abertura oficial da Conferência, saudado pelo jornalista Claudio Salles (Pop Goiaba), defendeu o direito humano à Comunicação. Lembrou que foi personagem involuntário destes embates entre o direito à liberdade de expressão, liberdade de imprensa, direito à informação que, portanto, é um direito da comunicação, quando tentaram ‘enquadrar’ uma charge minha. Acabou que foi um tiro no pé, pois gerou  um movimento muito grande de cartunistas, que refizeram a minha charge, cada um da sua maneira de ver, para dizer ‘olha, vocês não podem processar esse cartunista, porque todos nós estamos fazendo a mesma crítica’.

“Isso mostra o que acontece quando a comunicação é democratizada. Isso aconteceu entre grupos independentes em conversa de discussão que espalharam essa ideia muito rapidamente, que em três a quatro dias, havia centenas de protestos com o que me aconteceu. Ações assim mostram para o que servem a comunicação, que é o tema da segunda conferência de comunicação. O objetivo é sempre chegar no outro, o objetivo da comunicação é informar o outro e ser informado por ele. É sempre uma troca!”, destacou.

Aroeira ganhou os prêmios Wladimir Herzog de Direitos Humanos e o Líbero Badaró de Jornalismo, ambos na categoria charge.

Após a Mesa de Abertura, a jornalista Claudia Abreu assumiu o comando da sessão apresentando o planejamento da Conferência até março de 2023.

As propostas serão recebidas pela Comissão Organizadora do evento. Pelo endereço https://bit.ly/3mXtZJQ todos podem encaminhar teses e propostas que serão analisadas nos três grupos de trabalho (virtuais) que acontecem dias 7, 8 e 9 de março de 2023. Para participar é necessário se inscrever pelo endereço https://bit.ly/39vZYh6.

A Comissão Organizadora da Conferência de Comunicação é formada por Adilson Cabral (Emerge), Claudia de Abreu (ComunicAtivistas), Claudio Salles (Pop Goiaba), Daniela Araújo (Bem TV),  Lúcia Bravo (TV Bandeijão), Mário Sousa (Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro) e Thamirez Lopes (Favelize-se),   Leonardo Caldeira (Coordenador de Comunicação da Prefeitura de Niterói), com o apoio da Prefeitura de Niterói, da Câmara de Vereadores de Niterói e da Neltur.

CONFECOM

A primeira Conferência Nacional de Comunicação – e suas etapas regionais – aconteceu em 2009, quando foram aprovadas mais de 500 propostas. Onze anos depois, os organizadores consideram importante resgatar, mobilizar e atualizar o debate e levando em conta a importância das políticas públicas de comunicação. Especialmente neste momento de nossa conjuntura, em que muito se tem debatido os aspectos democráticos e o papel da Comunicação na sustentação da liberdade de expressão.

Prestigiaram o lançamento da Conferência¸ entre outros: vereador Paulo Eduardo Gomes; Fernando Stern (Coordenador das Mídias Sociais da Prefeitura de Niterói); Andrea Kraemer (presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB); jornalista Célio Pimentel; Claúdio Viana (ex-presidente da OAB); advogado Márcio Aleluia; jornalista  Claúdia Barcelllos (Diretora do Sindicato dos Jornalistas); Jornalista e escritor Pinheiro Junior (Comissão de Ética do Sindicato dos  Jornalistas do RJ), jornalista Adilson Guimarães, (Diretor do Sindicato dos Jornalistas do RJ), jornalista Márcio Kerbel (Diário de Niterói); jornalista Rafaela Batista (Jornal A Tribuna), Devid Alexandrinski, Camila Marins (Revista Brejeiras), radialista Serginho Total; jornalista Rafael Duarte D`Oliveira (mandato do deputado  estadual Flávio Serafini); Continentino Porto (representante do  Sindicato junto a Federação Nacional de Jornalistas); jornalista Renato Guima; Aghata Amaral (gabinete do vereador  Túlio; jornalista Eduardo Junqueira; Marcial Maiato (TV Comunitária); jornalista  Julio de Castro (Cidade Online);  Dalva de Oliveira (Programa Vida nos Campos – UFF); Manuel Vitorino (PDT- Niterói); José Antonio Barroco (Coordenador do Trabalho, Emprego e Renda – Secretaria do Trabalho), Ivana Gonçalves (Yohan Terapias), jornalista Simone Botelho (Ascom-PMN), Ermínio Rezende (Gabinete do deputado do federal Chico D`Angelo); Fernando Dias, (presidente da Comissão de Eventos da OAB-Niterói).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *